07 abril 2018

O Ponto de Virada ~ Malcolm Gladwell


Malcolm Gladwell é colunista do jornal The New Yorker. Sua escrita flui de forma extraordinária. Li The Tipping point (O ponto da virada) e Outliers (Fora de série), e estou com outro livro dele em casa. Um ponto atraente em seus livros é a  mistura de sua escrita com pesquisas científicas, históricas e filosóficas. Alguns o acusam de tirar essas pesquisas do contexto em que foram criadas, eu particularmente penso que administra bem a narrativa e coloca um ponto de interrogação ao lado das certezas e nos fazer refletir.

Em “O ponto da virada”, Gladwell quer responder à seguinte questão: Por que alguns comportamentos, produtos e ideias se espalham como epidemias e outros não? Seria possível controlar intencionalmente tais processos? O autor parte da seguinte ideia: a melhor maneira de compreender o fluxo e refluxo das tendências sociais é pensá-las como epidemias

Segundo ele ‘sofremos uma influência extrema do meio em que vivemos e da personalidade e do comportamento das pessoas que nos cercam. Nossas convicções mais íntimas e o verdadeiro conteúdo dos nossos pensamentos são menos importantes na orientação de nossas ações do que o contexto imediato em que se dá nosso comportamento.'

’Ponto da Virada é justamente o momento em que pequenas mudanças entram em ebulição, transformando um evento. Atingir o Ponto da Virada depende de três agentes de mudança: a Regra dos Eleitos, o Fator de Fixação e o Poder do Contexto.

A Regra dos Eleitos determina como algumas pessoas com características particulares (sociabilidade, entusiasmo, energia, conhecimento e influência) são capazes de transmitir ou espalhar uma novidade, criando uma tendência. Todavia depois de criada a tendência é preciso fixar.

O Fator de Fixação torna a mensagem memorável e inesquecível, ampliando a intensidade do seu impacto. Nas epidemias, o mensageiro é fundamental, ele faz ‘a coisa’ se disseminar e ser fixada.

O Poder do Contexto vai retratar como as pessoas são influenciadas pelo ambiente, o que também contribui para a criação de tendências. 

A Regra dos Efeitos mostra que existem pessoas excepcionais capazes de iniciar epidemias. Basta encontrá-las. A lição sobre fixação é a mesma. Há uma forma simples de embalar uma informação que, nas circunstanciais certas, torna-se irresistível. É só descobrir qual é. Segundo a Regra dos Eleitos, as epidemias são geradas por 'pessoas dotadas de um conjunto raro e particular de talentos sociais.' Essas pessoas podem ser classificadas como: “Comunicadores, Experts e Vendedores”.

Os Comunicadores são aqueles “com um talento especial para reunir pessoas” ou “com um talento extraordinário para fazer amigos e conhecidos.” A importância dos Comunicadores não está apenas na quantidade de pessoas que conhecem, mas também na diversidade. 

Para tal, Gladwell, usa o conceito do sociólogo Mark Granovetter sobre “a força dos laços fracos”, onde se afirma que a melhor maneira de entrar em algum lugar é por meio de um contato pessoal, os Comunicadores tornam-se socialmente poderosos e valiosos porque têm muitos conhecidos em lugares diversos, o que amplia suas oportunidades de acesso a mundos, lugares e ambientes aos quais não pertencem.

Os Comunicadores são especialistas em gente, e os Experts são especialistas em informações. O Expert é o que acumula conhecimento. Porém, “não são colecionadores passivos de informações.” É aquele tipo de gente que quando descobre uma novidade valiosa, quer difundi-la para que todos tirem proveito. Os Experts têm o conhecimento e as habilidades sociais para iniciar epidemias de propaganda boca a boca. E os Vendedores? os Vendedores são as pessoas capazes de nos convencer quando não acreditamos no que estamos ouvindo. Vale a leitura!!!

Até Que a Culpa Nos Separe ~ Liane Moriarty

Clementine e Erika foram amigas de infância e continuam amigas na fase adulta embora não tenham muito em comum. Erika é obsessivo-compuls...