07 maio 2015

TEMPO DE MATAR ~ John Grisham

‘Tempo de Matar’ foi o primeiro livro escrito por John Grisham (rejeitado por inúmeras editoras antes de ser publicado). A história se passa em Clanton, Mississipi. 

Tonya, uma menina negra de 10 anos foi ao armazém a pedido de sua mãe Gwen Hayle. Na volta para casa, Tonya é raptada e violentamente estuprada e espancada por dois brancos racistas, sendo largada no meio da estrada à beira da morte.

Carl Lee Hayle, pai de Tonya, ao chegar em casa se depara com Tonya, deitada no sofá, coberta com toalhas e rodeada de parentes chorando. O rosto de Tonya estava transformado em uma massa disforme e sangrenta.

Os estupradores são identificados, presos, e levados ao tribunal para os procedimentos que dariam início ao julgamento. Apesar das provas irrefutáveis, e de um dos acusados ter admitido a participação na atrocidade, existia uma possibilidade de absolvição. 

Numa cidade tradicionalista, onde a segregação racial ainda se mostrava presente, até onde um júri seria capaz de condenar dois jovens brancos por estuprar e brutalizar uma criança negra?

No final da audiência que indicia Willard e Cobb, Carl Lee assassina os estupradores. A trama vai acompanhar o resultado desse evento. Um homem negro, que assassina dois homens brancos, acusados de estuprar e destruir a vida de sua filha. 

Na defesa, encontramos Jake Brigance que sabe das grandes chances que seu cliente tem de ser condenado a morte. Pela promotoria temos, Rufus Buckley, que planeja fazer desse caso o trampolim para um cargo político.

Durante o julgamento, de um lado temos os membros da Ku Klux Klan agindo abertamente, saindo em passeatas e confrontando os negros. De outro lado temos os representantes de outros estados do país que vão à Clanton apoiar Carl Lee e pedir sua absolvição.

“A defesa mandou o Júri imaginar que a menina tinha cabelos loiros e olhos azuis, que os dois estupradores eram negros e que eles amarraram o pé esquerdo dela numa cerca e o direito numa árvore. Que a violentaram repetidamente e xingaram porque ela era branca (...) E se fosse sua filha?”

“E você como jurado? Cederia às pressões da KKK assumindo que o estupro não justifica o assassinato de dois homens? Ou acreditaria que um homem assombrado pelo estupro de sua filha única de 10 anos, pode perder a sanidade?”

5 comentários:

  1. Que história pesada de clima tenso.
    Não sei se teria clima de ler algo assim. São coisas muito delicadas, trágicas e polêmicas.
    E não deixa de ser, infelizmente, um assunto ainda presente na nossa sociedade atualmente. E talvez seja isso que mais me assuste.

    ResponderExcluir
  2. Estava aguardando a nossa 'conversa' aqui :). Sim o tema é polêmico e pesado, eu li e vi o filme. Que mundo estranho esse que habitamos não é? as pessoas são julgadas pela cor, pelo que consomem, pelo modo como se comportam… e esquecemos que cada ser humano tem as suas individualidades e se não gostamos, sigamos em frente, há tanto com o que se ocupar. Como você gosta de dizer: 'mais amor, por favor.'

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amor, a força mais potente capaz de mudar o mund, a verdadeira e única revolução.

      Excluir
  3. Verdade Claudia, o mundo anda muito estranho mesmo. O tema é muito polêmico mas não dá para ignorar os fatos que acontecem na sociedade...Como exigir de um pai tranquilidade numa situação como essa... é preciso tentar se colocar no lugar dele... a sociedade está enferma. Eu mesma passei recentemente por violência psicológica, perseguição etc...e fica difícil lutar contra certas pessoas principalmente quando são reconhecidos na sociedade e carregam um monte de diplomas...Como você bem disse precisamos de mais amor... nem sempre instrução é sinônimo de educação. A educação vem de dentro para fora, é quando os pais ensinam aos filhos a cultivar valores morais ( eduzir) , valores que vêm da alma. A instrução traz o conhecimento ( de fora para dentro)... Precisamos primeiro de educação,a instrução vem depois... sem valores morais não somos nada. Por isso Einstein sempre falava no mundo dos fatos (instrução) e no mundo dos valores( educação). E o nosso querido mestre Jesus disse " amai-vos e instruí-vos"... o amor sempre em primeiro lugar. Parabéns Claudia pela matéria, um assunto muito pertinente e importante nos dias de hoje.

    ResponderExcluir
  4. Diane, 'as falas autorizadas', falas que se escondem atrás de um diploma, de uma educação, são para mim as mais perigosas e ainda assim, podem ser grandes reveladoras quando usadas com prudência.

    Você colocou tão bem... 'precisamos primeiro de educação, a instrução vem depois... sem valores morais não somos nada.' Todavia estamos em um mundo sem volta, onde as pessoas, comumente, não param para pensar… agem impulsionadas pelo ego, vaidade, 'cargos'… e a desumanidade começa... impõe e classifica, qualquer um que não 'se conforme' as regras da maioria.

    Mas sigamos com esperança de que 'esse pequeno grupo' sobreviva e ainda que saiam machucados algumas vezes, encontrem alegria em 'nadar contra a corrente' e cheguem ao topo fortalecidos.
    Para mim é uma alegria 'encontrar' você. Um grande abraço.

    ResponderExcluir

Cartas de Amor de Uma Santa ~ Gianna Beretta

Vale a leitura desse livro. Coletei algumas citações que compartilho com vocês: “O Segredo da felicidade é de viver  momento a moment...